Páginas

Diferença entre KITs



            Na hora de comprar um aeromodelo, muita coisa deve ser analisada: tamanho, eletrônica e motor requeridos, custo do frete, qualidade, e uma infinidade mais. Mas o que muita gente esquece [ou desconhece] é de observar como vem esse aeromodelo: Montado, pronto para voar, para montar, etc. E isso pode ser uma enorme dor de cabeça quando ele chega, mas depois de comprado, ignorância não é um bom argumento para reclamar ao vendedor.


            Listei abaixo os conjuntos mais comuns:


            “KIT” ou “KIT para montar”



Sport Stick da Flying Circus, um exemplo de KIT para montar

            Hoje seu sentido foi ampliado, chamam tudo de “KIT”, por isso deve-se tomar muito cuidado ao comprar um modelo assim, sempre pergunte ao vendedor como o aeromodelo realmente é enviado.

            Originalmente era empregada para designar o aeromodelo que precisava ser construído antes de voar, ou seja, somente os recortes da madeira ou depron são enviados, e fica a cargo do comprador a tarefa de construí-lo. Acompanha somente o material para a construção básica: isopor, madeira, cowl, trem de pouso, canopi, estirantes, struts e partes do gênero. Itens como: material para entelagem, horns, dobradiças, linkagem, montante de motor, material para entelagem e eletrônica não são inclusos.


            “Short kit” (KIT reduzido)



Paulistinha da EletricPlanes, um exemplo de short kit

            Infelizmente é pouco difundido no Brasil, mas é muito prático para quem gosta de construir. Se considerarmos tudo o que é necessário para o aeromodelo voar, ele é inferior ao “KIT para montar”.

            São inclusas somente as peças que necessitam de corte, ou seja, perfil de asa e cavernas, basicamente. Todo o resto, como: varetas, chapeamento e trem de pouso devem ser adquiridos a parte pelo aeromodelista.

            Sua vantagem é eliminar aquele tedioso processo de corte de das peças curvas.

           
            ARF (Almost ready to fly, quase pronto para voar)



Avistar, um exemplo de modelo ARF

            A meu ver o mais prático e flexível.

            Nesse tipo, o aeromodelo vem construído, entelado e com todos os acessórios inclusos (linkagem, dobradiças, trem de pouso com rodas, etc), o que falta para concluir a montagem é somente a eletrônica e o motor.

            Algumas montagens são requeridas, como: Colar dobradiças, fixar leme e profundor, recortar o cowl para o motor caber, fixar motor, regular linkagem, etc. Mas são serviços que podem ser concluídos em menos de quatro horas.


            RTF (Ready to fly, pronto para voar)



Alpha Trainer, um exemplo de modelo RTF


            O modelo mais completo e menos flexível.

            Todo o necessário para concluir a montagem já acompanha, inclusive, motor, servos, rádio e carregador. Para quem está iniciando é muito prático, pois não requer nenhum conhecimento para escolher os componentes. Porém, para quem já voa pode não ser muito vantajoso, pois acompanha itens já possuídos pelo aeromodelista.

            Sua montagem é muito mais simples que o ARF, pois os servos já vêm pré-instalados e o motor fixado. Para deixa-lo em ordem de voo, geralmente, basta colar profundo, leme e unir as semi asas, além de uma simples regulagem de linkagem.


            ARC (Almost ready to cover, quase pronto para entelar)



Tractor da Flying Circus em formato ARC (não comercializado)

            É outro modelo não muito difundido no Brasil, e é muito prático para quem deseja um aeromodelo diferente sem ter todo o trabalho da construção.

            É praticamente um ARF sem entelagem. Tudo o que eu disse para o ARF também é válido aqui, exceto o passo da entelagem, que também deve ser feito pelo comprador.


                Quer ser avisado de todas as nossas postagens? Cadastre seu e-mail aqui.


            Você conhecia todos esses “tipos de KITs”? A partir de agora vai tomar mais cuidado para não comprar “gato por lebre”? Você conhece outro modelo de venda de aeromodelos? Deixe seu comentário aqui embaixo.



3 comentários:

  1. Sua vantagem é eliminar aquele tedioso processo de corte de das peças curvas! Acho essa frase bastante infeliz. O que é ser um aeromodelista de verdade? Aquele que compra as peças todas cortadas a laser e só juntar elas? Ou aquele que compra o avião pronto e já vai voar é um aeromodelitas? Montar um modelo em depron ou isopor faz do cara um aeromodelista? Pois é, eu já gosto de partir do zero, nada de kit, somente a planta e as madeiras. É uma tremenda terapia cortar as peças curvas, mas isso deve ser feito em maquinas adequadas. Você deve ter falado em cortar na base do estilete! Entonce, esse universo do aeromodelismo tem muitas coisas a ser discutida.
    abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Flávio, discordo um pouco da sua opinião. A grosso modo aeromodelista são todos os que praticam o hobby, mas eu pessoalmente divido em duas categorias: piloto de aeromodelo (aquele sujeito que apenas pilota, e não aperta sequer um parafuso do modelo) e aeromodelista (quem faz tudo, mesmo que as vezes terceirize algum serviço).
      Não gosto de discriminar quem voa modelos de isopor e depron, até por que eu tenho vários desses, todos são aeromodelos, apesar de suas diferenças e limitações.
      Alguns tem limitação financeira e acabam gastando menos de mil reais para voar, enquanto outros já têm mais condições e gastam milhões. Vai da disponibilidade e vontade de cada um.
      Eu acho entediante cortar dezenas de perfis de asa semelhantes na mão, prefiro algo pré-pronto, mas isso vai de gosto. E até onde sei balsa se corta no estilete, ou você usa tico-tico de bancada?

      Abraços,

      Excluir
  2. aeromodelista fabrica, monta e da manutenção, e tem o piloto de aeromodelo.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...