Páginas

Flutuador Stick



            Sempre quis saber como é “voar na água”, mas para isso precisaria de um hidroavião. Nunca gostei dessa ideia, pois como não tenho acesso fácil à água, um modelo que necessitasse de água para voar ficaria boa parte do tempo parado e ocupando o espaço de outro modelo na minha oficina. Quando vi que seria possível adaptar um flutuador nesse modelo fiquei empolgado, assim seria possível voar na água somente trocando o “trem de pouso”.

            E foi isso que fiz, encomendei um flutuador da própria WGS e comecei a montagem.

            Parece simples, mas montar alinhado e entelar corretamente suas curvas foi muito trabalhoso.

            Para fixar o flutuador na fuselagem utilizei os mesmos parafusos do trem de pouso, bastando colar um compensado no topo do flutuador e furar na mesma posição que o trem de pouso com rodas. Optei por não usar “leme de água” após assistir vários vídeos.

            Veja a construção e o resultado abaixo:


Pré montagem do flutuador para verificação dos encaixes

Vista lateral do componentes do flutuador

Vista superior dos componentes do flutuador

Alfinetes para garantir um perfeito alinhamento

Colado com epóxi

Flutuador montado e lixado, pronto para ser entelado

Entelagem da parte inferior

Borda dobrada para garantir uma boa aderência e vedação

Entelagem acompanhando o formato

Parte traseira do flutuador

Parte superior traseira entelada

Observe que a sobra é sobrada e cortada

Parte superior frontal entelada

Também com a sobra dobrada

Flutuador faltando somente a lateral

Lateral entelada

Observe a perfeita junção da entelagem lateral com a superior

A sobra também é dobrada na base

Flutuador pronto

Flutuador pronto

A entelagem acompanha o flutuador e não apresenta marcas de união 

Base de compensado para fixação na fuselagem

Isopor rebaixado

Base encaixada

Base colada com epóxi

Bastante cola foi colocada para garantir a fixação

Base entelada em amarelo para não se destacar na fuselagem (também amarela)

Lateral da base entelada

Toda sobra é dobrada

Outra lateral entelada

Parte superior da base entelada

Parte inferior entelada com muito cuidado para não soltar ao ser aquecida

Flutuador pronto para ser instalado

Flutuador pronto

Marcação dos furos de fixação

Furos abertos

Furos abertos

Flutuador parafusado na fuselagem

Por ficar em cima da porta, desliguei o respectivo servo do receptor para garantir que não tentará abrir

A vantagem desse sistema: Trocar rapidamente trem com rodas por flutuador

Esse procedimento leva menos de 5 minutos

Stick com flutuador pendurado na parede

Primeiro teste de flutuabilidade

Flutuou perfeitamente

Sua manobrabilidade na água é muito alta

Seu raio de curva é de aproximadamente dois metros

Conclui que não é necessário leme de água

Com esse flutuador grande, é quase impossível virá-lo

Esta hélice foi colocada somente para teste

E ainda descobri que ela é muito grande, por isso já providenciei uma tripá

A hélice pegando na água molhou todo o aeromodelo, mas pelos servos estarem embutidos, nada queimou


Agora será possível, também, voar na água com esse Stick, mais uma utilidade para ele.


             Quer ser avisado de todas as nossas postagens? Cadastre seu e-mail aqui.

            O que achou do flutuador? Ficou bom? Você já voou na água? Conte-nos como foi. Se não voou, tem vontade?


4 comentários:

  1. BOA TARDE .vC TEM COMO ME MANDAR UMA PLANTA DE UM FLUTUADOR PARA UM CESSNA ELÉTRICO ,QUERO COLOCAR NO QUER TENHO AQUI.aGRADECERIA MUITO.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito que você seja a mesma pessoa que me enviou um e-mail, já respondi por lá.

      Excluir
  2. ola amigo gostaria de saber se esse flutuador serveria para um cessna de 1,10 de fuselagem com 1,50 de asa ..meu email..abrigagao@gmail.com ou skayp ..paraquedista40 att. Adriano

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito que para um aero de 1,5m de envergadura, o ideal seria um flutuador maior que este do artigo.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...