Páginas

Caseirol: o glow feito em casa - PARTE 2


Caros amigos, a primeira parte deste artigo foi publicada aqui há 5 anos. Desde aquela época, muitos comentários foram feitos no próprio artigo e em alguns grupos de WhatsApp. Nesses comentários, entre outras coisas, verifiquei que existe muita dúvida quanto a maneira correta de se calcular a porcentagem dos componentes do combustível Caseirol. Por isso, além de escrever aqui as minhas novas experiências com o Caseirol, vamos esclarecer de uma vez como se faz para calcular corretamente a porcentagem dos componentes de um líquido.

 


Vamos começar calculando os volumes dos componentes de um combustível comprado pronto, do tipo mais comum para motores 2 tempos: o 10/16.  Vendido normalmente em um vasilhame de 3,6 litros (1 galão americano). Essa nomenclatura significa que ele possui:

 

- 10% de Nitrometano;

- 16% de Óleo lubrificante (Não é importante agora detalhar a composição deste óleo);

- O resto supostamente¹ é Metanol.

 

Já podemos começar a fazer umas contas aqui: se 10% é Nitrometano e 16% é de Óleo, quantos por cento é de Metanol? Para tanto basta subtrair do total (que é 100%), as porcentagens de cada componente: 100% - 10% - 16% = 74% de Metanol.

 

Agora vamos calcular o volume de cada substância. Para usar a porcentagem a gente tem que dividir o valor da porcentagem por 100 e o resultado multiplicar pelo volume total da substância:

 

- Quantidade de Nitrometano = 10%, dividido por 100, o resultado multiplicar pelo volume total, ou seja 3,6l. (10/100) x 3,6 = 0,1 x 3,6 = 0,360 Litro de Nitrometano.

(Se quiser pode multiplicar esse resultado por 1000 para ter o volume em ml, ou seja, 360ml)

 

- Quantidade de Óleo = 16% dividido por 100, o resultado multiplicar por 3,6l.

(16/100) x 3,6 = 0,16 x 3,6 = 0,576 Litro de Óleo. (Multiplicando por 1000 temos 576ml).

 

- Quantidade de Metanol = 74% dividido por 100, o resultado multiplicar por 3,6l.

(74/100) x 3,6 = 0,74 x 3,6 = 2,664 Litros de Metanol.

(Multiplicando por 1000 temos 2,664ml).

 

      Vamos conferir se os resultados estão corretos? Vamos somar os volumes obtidos e ver se conseguimos completar o galão de novo com 3,6l de combustível:

 

Nitrometano =   0,360

Óleo                =   0,576

Metanol         =   2,664 +

                          ----------------

Total               =   3,600 Litros de Combustível 10/16.

 

Continuando o exercício, suponha que eu já possua os componentes do combustível separado e somente vá fazer a mistura. Depois de misturado eu quero calcular qual porcentagem existe de cada componente nessa mistura.

 

Neste caso, basta dividir o volume do componente pelo volume total da mistura. O resultado devo multiplicar por 100 para obter o valor em porcentagem, veja:

 

           Usando os mesmos volumes calculado acima, eu coloco num recipiente:

 

Nitrometano   =    0,360 Litro

Óleo                  =    0,576 Litro

Metanol           =     2,664 Litro

Total                 =     3,600 Litros de combustível pronto.

 

Agora calculando as porcentagens:

 

Nitrometano: 0,360/3,600 = 0,1 multiplico por 100 = 10%

Óleo: 0,576/3,600 = 0,16 multiplico por 100 = 16%

Metanol: 2,664/3,600 = 0,74 multiplico por 100 = 74%

 

 

       ATENÇÃO: Antes de publicar este artigo, tivemos o cuidado de conferir e validar este método de cálculo com: um engenheiro, Um físico, Um químico, Um agrônomo, um matemático, dois alienígenas e um tatu-bola. Portanto, podem acreditar que isso está correto. Quem ainda acreditar que o método de cálculo está errado, eu sinto muito. PEÇA AJUDA.

 

Vamos agora, novamente, aos cálculos do artigo de 2016:

 

- 4 Litros de Metanol + 1 litro de óleo de rícino = 5 litros de glow com 20% de óleo:

 

Volume total: 4+1=5,000 Litros

Óleo: 1,000/5,000 = 0,20 x 100 = 20%

Metanol: 4,000/5,000 = 0,80 x 100 = 80%

Vamos fazer a conta ao contrário:

Quantos litros de óleo tem 5,000 litros de combustível com 20%?

(20/100) x 5,000 = 0,20 x 5,000 = 1,000 Litro de Óleo.

 

- 5 Litros de Metanol + 1 litro de óleo de rícino = 6 litros de glow com 16,6% de óleo:

 

Volume total: 5+1=6,000 Litros

Óleo: 1,000/6,000 = 0,166 x 100 = 16,7% (arredondando, pois essa conta dá uma dízima periódica)

Metanol: 5,000/6,000 = 0,833 x 100 = 83,3%

Vamos fazer a conta ao contrário:

Quantos litros de óleo tem 6,000 litros de combustível com 16,6%?

(16,6/100) x 6000 = 0,166 x 6,000 = 1,000 Litro de Óleo. (Arredondando 0,996 para 1,000)

 

- 4,7 Litros de Metanol + 0,3 litro de acetona + 1 litro de óleo = 6 litros de glow com 5% de acetona e 16,6% de óleo:

 

Volume total: 4,7+0,3+1=6,000 Litros

Acetona: 0,300/6,000 = 0,05 x 100 = 5%

Óleo: 1,000/6,000 = 0,166 x 100 = 16,6%

Metanol: 4,700/6,000 = 0,783 x 100 = 78,3%

 

- 4,4 Litros de Metanol + 0,6 litro de nitrometano + 1 litro de óleo = 6 litros de glow com 10% de nitro e 16,6% de óleo:

 

Volume total: 4,4+0,6+1=6,000 Litros

Nitrometano: 0,600/6,000 = 0,10 x 100 = 10%

Óleo: 1,000/6,000 = 0,166 x 100 = 16,6%

Metanol: 4,400/6,000 = 0,733 x 100 = 73,3%

 



          Esclarecida essa questão, vamos à evolução do meu Caseirol nesses 5 anos:

 

No começo eu utilizava o óleo de kart puro, pela praticidade, preço e facilidade de encontrar. Ao conferir com o fabricante, verifiquei que este óleo que eu usava era 100% sintético, porém a maioria dos manuais de motores recomendam que pelo menos 50% seja óleo de Rícino.

 

A partir daí comprei um óleo de rícino de boa qualidade e comecei a usar, na formulação do Caseirol, metade rícino e metade óleo de kart. A segunda mudança foi por conta de notar que ao utilizar somente Metanol e Óleo, haviam algumas diferenças em comparação ao combustível comprado:

 

- O combustível mudava o aspecto ao passar do tempo: ficava turvo;

- Parecia que formava uma goma do óleo e tinha que filtrar o combustível depois de um tempo guardado, caso contrário começava a entupir a agulha do carburador;

- Havia uma pequena perda da força do motor, comparado ao combustível comprado;

- Mesmo após regular de maneira criteriosa a agulha de baixa, a retomada de aceleração do motor nunca ficava igualzinha ao do combustível comprado.

 

Todos esses detalhes ficaram para trás quando comecei a aditivar o Caseirol com um pouco de combustível comprado. Vou pular todas as etapas de testes que fiz até hoje e vou para o resultado final. Cada vez que vou preparar o Caseirol, coloco:

 

- 145 ml de óleo de kart.

- 145 ml de óleo de rícino.

- 1680 ml de metanol.

- 500 ml de glow para helicóptero 30/22.

 

Volume total de Caseirol Aditivado: 2,500 litros

 

Agora que nós já aprendemos a fazer porcentagens, O resultado dessa mistura é:

- Nitrometano: 6%

- Óleos: 16%

- Metanol: 78%

 

Observação: lembre-se de considerar nas contas que o combustível de helicóptero tem 30% de Nitrometano (150 ml) e 22% de Óleo (110ml). Neste caso o meu Caseirol está ficando com 6% de Nitrometano a um custo bem acessível, com um galão de combustível para Helicóptero eu consigo fazer mais de 17 litros de Caseirol.

 

A performance ficou muito semelhante ao combustível 10/16 e o custo muito menor. Estou contente assim e os meus motores e meu bolso agradecem. Sei que o objetivo de usar Caseirol é abaixar o custo ao máximo. Porém com essa nova formulação, o custo aumentou muito pouco, não corro o risco de manipular o Nitrometano puro que é muito perigoso e ganhei muito na qualidade do combustível.

 

Não vou nem valorizar o ganho de potência, pois para mim o maior ganho foi na estabilidade do combustível que agora pode ficar meses guardado que não deteriora. Muita gente vai ler este artigo e dizer que usa o Caseirol só com Rícino e Metanol há anos e nunca teve problemas. Eu realmente acredito em vocês, o Caseirol Raiz é muito muito bom, não dá problemas, e dá pra usar a vida toda sem aborrecimentos. Eu só quis transmitir aqui que minhas experiências levaram a uma formulação tal que com essa forma de aditivar o Caseirol, obtém-se um resultado ainda melhor.

 

O resultado ficou tão bom que, se eu não falar, ninguém na pista fica sabendo que estou usando o Caseirol, pois a cor, o cheiro e o desempenho são os mesmos.

 

Só para finalizar o assunto de porcentagem: o combustível comprado corresponde a 20% do volume total de combustível pronto. Na prática se você quiser experimentar o combustível aditivado faça o seguinte: Separe uma quantidade qualquer do seu Caseirol, divida esse volume por 4. Este é o volume de combustível comprado pronto que você deve acrescentar.

 

Exemplo: se você separar 300ml de Caseirol, acrescente 75ml de combustível comprado. O resultado vai ser 375ml de Caseirol aditivado.

 

O que aprendemos de bom ao ler este artigo:

 

- Matemática é uma coisa só, por isso se chama ciência exata. Não vamos mais discutir se está certo ou errado o método de cálculo de porcentagem. Ou você aceita a maneira que foi explicada acima ou faça do seu jeito e seja feliz;

 

- Não tenha medo de fazer as suas próprias experiências, é muito importante chegar às suas próprias conclusões e fazer aquilo que realmente funciona para você;

 

- Não existe a melhor fórmula de Caseirol, ou a melhor marca ou tipo de combustível. Você terá que determinar o que é melhor para você, para o seu motor, para o seu bolso e para o objetivo da sua prática do aeromodelismo;

- Já disse isso antes: com ou sem “aditivação”, o motor glow foi projetado para funcionar com Metanol e Óleo e é isso que a gente põe no Caseirol, por isso que sempre funcionou e sempre vai funcionar;

          - Para quem voa aero com gasolina, até o momento da publicação deste artigo, eu nunca ouvi falar em gasolina pronta para aeromodelo vendida em galões. Cada um faz a sua mistura de óleo e escolhe qual óleo e qual gasolina é a sua preferida, ou qual melhor se adapta ao seu motor e ao seu modo de voar.

 


*1- Eu disse que o resto supostamente é Metanol porque não sabemos se os fabricantes de combustível glow colocam mais algum aditivo a fim de manter a estabilidade da mistura ou para obter algum ganho em alguma caraterística química. Mas pelo menos há adição de corante, e não se sabe quanto é.

 

Escrito por Márcio Barcelos



Deixe nos comentários se temos assunto para um Caseirol Parte 3 !!!

Você tem curiosidade sobre o motor à Bioethanol (Etanol)? Gostaria de um artigo sobre este motor/combustível?

6 comentários:

  1. Rapaz bacana esse post. Sou adepto do caseirol de forma baratear o custo do hobby pra mim. Sou do Mato Grosso e aqui é mais difícil encontrar os componentes. Quanto ao Bioethanol gostaria de ver a opinião de vocês e as formulações usadas. Tenho 1 bioetanol é pretendo trocar todos meus motores para bio por conta da facilidade em encontrar o etanol que uso de posto mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Netão. Conheço muito bem o Bioethanol também. Tem dois aeros de um colega de pista (o Jefferson) e eu converti um motor meu. Funciona muito bem e teria tudo para ser o principal combustível dos aeromodelos ao invés do Metanol. Assim como eu e você aprendemos a lidar com as particularidades de regulagem de motor deste combustível, todo mundo iria aprender também. A única ressalva quanto a usar etanol de posto é que este etanol é hidratado (contém uma porcentagem água), porém o motor foi projetado para usar etanol anidro (sem água). A Água contida no etanol de posto poderá causar danos ao motor como oxidação e corrosão.

      Excluir
  2. Caseirol, um grande desafio com boa economia!
    https://youtu.be/CyD1oixcH9Y

    ResponderExcluir
  3. Se o desejo é economia, eu vou procurar não usar nitro. Conheço "receitas" com acetona P.A em substituição ao nitro. Façam uma PARTE 3 com este tópico, utilizando os especialistas, principalmente com a opinião do Dr. Tatu Bola!
    Tenho um OS40LA, no seu manual diz que deve ser usado combustível com 5 a 10% de nitro e lubrificante, rícino ou sintético com no mínimo 18% por volume.
    Também conheço formulações com a acetona, respeitando os cuidados com que este problema que "aditivo" pode causar. pois afeta as mangueiras em quantidades maiores.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Amigo. Com relação à acetona gostaria de fazer os seguintes comentários.
      São fatos verdadeiros: 1-Nemhum manual de motor menciona a acetona como componente do combustível recomendado. 2-Caso a acetona fosse realmente um produto químico que substituísse o caríssimo e venenoso nitrometano, porque nenhum fabricante de combustível a usa?
      Minha experiência com acetona: 1-Deteriora as mangueiras em qualquer quantidade utilizada. 2-A regulagem do motor fica mais sensível à variação de temperatura ambiente. Principalmente em temperaturas altas.
      Sendo assim, NA MINHA OPINIÃO, a acetona está descartada como aditivo do Caseirol.
      Porém, reafirmo o que sempre escrevo, cada um deve fazer seus próprios testes e determinar aquilo que é melhor para si, para os seus motores, para o seu bolso e para o seu hobby. Se suas experiências demonstram que a acetona é o melhor caminho, siga seus instintos e seja feliz.
      Marcio Barcellos

      Excluir
  4. To finish the molded half, the sprue and runner are trimmed from the half. Now that you’re acquainted with widespread injection molding defects to look out for, you'll be able to|you possibly can} take steps to stop them sooner or later and ensure your merchandise meet your customers’ high quality requirements. These processes can create practical prototypes for kind and performance that carefully resemble the looks of the final injection molding product. Reducing the wall thickness of your Women’s House Shoes half is finest way|one of the simplest ways|the easiest way} to reduce the half volume. Not solely does it imply less materials is used, but in addition the injection molding cycle is tremendously accelerated.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...